Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

O B.O.P.E. é POP


Tropa de elite é um fenômeno do cinema nacional muuuuito antes da estréia, por causa da pirataria e todo mundo sabe. As frases de efeito viraram bordões que só grandes filmes conseguem. Acho que as pessoas formam uma espécie de aliança, irmandade ou outro tipo de reunião em que, você, falando tais frases, passa a fazer parte de um seleto (ou coisa que o valha) grupo.

Não vou fazer resenha do filme, nem coisa desse tipo (embora tenha a opinião de que é um ótimo filme com alguns pontos que até deixam a desejar, mas nem chegam perto dos acertos em quantidade tão superior que seria incomensurável). O que me trás aqui (fora o fato de ser o criador, revisor, editor, escritor e DONO do blog – hehehehehehehe) são as críticas que andei vendo (e ouvindo) por aí sobre a película.

Pois bem, vi críticas à narrativa do filme, as ações do Batalhão de operações policiais especiais (O B.O.P.E., porra!) seriam destoantes da realidade e impróprias, até mesmo repudiadas. Vi falarem que parece um grupo de super heróis (Fanboys recalcados que o diga) e outras coisas.

O que me incomodou mesmo foram críticas ao comportamento do Capitão Nascimento (Wagner Moura), que se tornou um ícone da cultura pop atualmente, com suas atitudes e opiniões um pouco não-ortodóxas.

Primeiro, o filme não é um documentário, ou seja, não tem que ser um retrato fiel da realidade. Frases de efeito também ocorrem em filmes do Bruce Willis e outros picões à prova de balas estadunidenses e ninguém condena a violência exacerbada ou condutas impróprias. Outro ponto é, vi num blog net afora, que a fama do Capitão-fodão-anti-herói ganhou mais destaque do que o filme e que José Padilha (O diretor que, se tiver alguma parente chamada Maria, deve ser espírita – ehiuhuiaheiuahe) não teria conseguido mostrar o que queria.

Só um ser muito distraído para não ver que o personagem de “TROPA” é o protagonista e Capitão da equipe que dá nome ao filme. A fama é mais do que natural e merecida. Muitos pontos para as atuações no filme.

FGarcia não se corrompe, não se omite e não vai pra guerra.
FGarcia é um fanfarrão.

Nenhum comentário: