Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Gorda não pode transar?



Nimarah Lima virou o viral da última semana com sua postagem sobre a própria intimidade. Não vou discutir se é legal ou não a pessoa expor a própria intimidade com tanta riqueza de detalhes, mas não deixa de ter um lado bom e importantíssimo. Além de reforçar a máxima 'ela tem o direito de fazer o que quiser'. Tá te ofendendo a transa dela?

Vejamos, Nimarah postou num grupo a tal foto com a descrição do momento íntimo que viveu ali naquele motel, achando que seu rosto seria parcialmente coberto por imagens de um daqueles apps de manipulação de imagens. Não rolou e a coisa foi de cara limpa mesmo. Dane-se se ela deveria ter se preservado, a questão aqui é outra: Muita gente que compartilhou, o fez com aquele ar de 'olha, a gordinha tarada falando sacanagem' e sabemos que isso tem o tom de deboche que ridiculariza a pessoa. Como o negro que ouve risadas ao dizer que cuida dos cabelos (porque cabelos crespos não têm o direito de serem tratados como cabelo de gente), Nimarah tem sido alvo de ofensas e tem até levado denúncias para a polícia. Tem mais é que fazer sim. Pra ser exemplo de reação! Por exemplo, a modelo plus-size, Fluvia Lacerda, foi anunciada com pompa como capa da playboy (é, minúsculo por despeito), mas a revista avisou que é só uma versão para colecionador, no site, na banca mesmo, vai vir a modelo 'tradicionalmente' magra, Gabriela Rippi. Tipo, valeu pelo desserviço, play, reforce a ideia de que a gorda é legal, mas pra mostrar pra família tem que ser a magra. Parabéns, campeões!


Fluvia, a gordinha só de busto.



Gabriela, a magrinha de corpo inteiro





















Mas, voltando... Aliás, vamos além! Claro, seria engraçado se qualquer pessoa falasse o que ela falou, mas o que incomoda é o julgamento da sociedade pelo fato de ser uma mulher gorda expondo sua intimidade. É o mesmo deboche de quando um gay se mostra valentão pra se defender ou quando um magrinho enfrenta um brutamontes, ou mesmo quando mostram - muito em filmes e comerciais - quando o nerd conquista a bonitona... é aquela risada de ver cachorro fazendo truque, bebês em poses de adultos e essa palhaçada. Debocham como se fosse motivo de piada uma mulher gorda demonstrar gostar muito de sexo. Gente, e ser julgado pelo que se é é tão ruim que tem gente que desenvolve até problema psicológico. Aliás, se eu tô num grupo que alguém compartilha pra fora uma postagem minha assim, é papo de sair desfazendo amizades a rodo.


Se fosse magra já seria alvo de julgamentos por que mulher não pode demonstrar prazer no sexo sem ser chamada de vadia, mas quando é uma mulher, preta, gorda, aí as pessoas caem esculachando. É o que eu sempre falo: Pessoas fracas de cabeça, defendem tanto os padrões da capa da revista e da novela que quando olha pra vida real, fica achando que aqui é que é o errado. Eu, particularmente, conheço muito mais Nimarahs do que Giselesis Bundchensis, seria justo eu achar que Gisele pode transar e Nimarah só pode ficar ali no canto fazendo piada, de preferência, com o próprio peso? Tem cabimento ela ser uma caricatura de si mesma na vida real e só a magrinha ir lá e descabelar o palhaço? Pra mim não. Que todo mundo tenha o direito de transar e gozar em paz.

Aliás, se estivessem transando, esses julgadores de última hora não teriam tempo pra falar da vida alheia. Se você não transa, não destranse os transantes. Rá!

Fonte: Extra Online

Nenhum comentário: