Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Frozen: Um grito congelante por igualdade?



E se o poder de gelo de Elsa fosse uma alegoria para a 'frieza' com que são vistas as mulheres homossexuais, tornando-as diferentes da maioria da população? 

Ela só seria aceita - ou pelo menos respeitada - por seu povo quando sua irmã demonstrasse o verdadeiro amor de defendê-la e apoiá-la perante aqueles que a odeiam apenas por ela ser quem é. 

Aí, ela não precisaria viver à parte da sociedade, feliz em ser ela mesma, mas incompleta por estar distante de quem ama. Poderia viver em seu próprio povo como a pessoa normal que é, apesar de diferente da maioria.


E na música principal do filme? Frases bem decididas sobre deixar uma vida convencional pra trás em troca de liberdade de ser e as inúmeras referências ao frio fora da vida comportada deixada pra trás e o fato de não precisar mais se conter ou se esconder agora que 'eles sabem'... Pense nisso enquanto assiste ao vídeo lá no final do texto. Coloco até uma livre tradução minha. 

Seria, Elsa, um grito aflito por respeito e amor? É claro... que são apenas suposições dessa minha mente estranha, assim como há, também, teorias de que Anna é uma alegoria ao feminismo, percebendo que não precisa de um homem para ser feliz ou vendo que seu amor verdadeiro não deva passar por esse homem antes de sua própria família, etc... 


Adoro teorias, mas me conformo que sejam apenas isso. Não tira o valor da possibilidade, até porque, cinema é bem isso aí, a imaginação viajando pelo tema proposto.

Afinal, convenhamos, se você tem mais de 8 anos de idade, o filme é bem raso pela história contada sem quase desenvolvimento de profundidade dos personagens. Aliás, isso até reforça minhas teorias, afinal, trabalhar demais a personalidade de um personagem poderia torna-lo muito pouco sutil, não dando chance às várias teorias que podem surgir. Imagina quantos debates se pode levantar sobre esses pontos de vista? 

Bem mais interessante que ficar pensando em porque Anna se dispôs a casar com o primeiro que apareceu, sem nem conhecer, ou porque Elsa conseguia controlar a criomancia (poder sobre o frio) de luvas e não sem elas... Sacou? Isso faz o filme parecer raso, diferente da minha proposição de que ele tenha sido uma forma subliminar de driblar o conservadorismo da sociedade e sugerir a discussão até entre quem nem percebeu as analogias.

Divertido pensar em pessoas discutindo sobre a solidão de Elsa e a carência de Anna sem entenderem que podem estar defendendo a liberdade afetivo-sexual e igualdade de gêneros, coisa que eu sei que muita gente seria contra só porque acha errado por contrariar a 'tradicional família brasileira' (portuguesa cristã da inquisição dos últimos dias medievais, né?).


Enfim, Frozen é muito mais legal vista por um ângulo assim. Conservadores e discriminadores que se lasquem, o mundo é de quem evolui para o amor ao próximo e Darwin um dia comprova que essa espécie preconceituosa vai sumir por não evoluir (ou não assumir, né... quem desdenha...vai saber). 

Anyway, let it go...


A neve brilha branca na montanha esta noite
Nenhuma pegada pode ser vista
Um reino de isolamento, e parece que eu sou a rainha
O vento está uivando
Como se essa tempestade rodopiasse dentro de mim
Não consegui conter
o céu sabe que eu tentei

Não os deixe entrar, não os deixe ver
Seja a boa menina que você sempre teve que ser
Esconda, não sinta, não deixe que eles saibam
Bem, agora eles sabem

Deixe ir, deixe ir
Não posso mais suportar
Deixe ir, deixe ir
Dou as costas e bato a porta
Eu não me importo com o que eles vão dizer
Deixe a tempestade desabar

É engraçado como um pouco de distância
Faz tudo parecer pequeno
E os medos que uma vez me controlaram
Não chega nem perto de mim
Bem aqui no ar frio, eu finalmente posso respirar
É tempo de ver do que sou capaz
Testar os limites e descobrir
Sem certo, nem errado, sem regras pra mim
Estou livre!

Deixe ir, deixe ir
Eu sou uma só com o vento e o céu
Deixe ir, deixe ir
Vocês nunca vão me ver chorar
Aqui estou e aqui vou ficar
Deixe a tempestade desabar

Meu poder flui do ar até o chão
Minha alma são fragmentos congelados 
Girando por toda parte 
E um pensamento cristaliza
Como um raio congelante
Eu nunca vou voltar, o passado está no passado

Deixe ir, deixe ir
E eu vou surgir como o despontar do amanhecer
Deixe ir, deixe ir
A garota perfeita se foi
Aqui estou, na luz do dia
Deixe a tempestade desabar
O frio nunca me incomodou mesmo

Nenhum comentário: