Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Onde vamos, Pará?!


Com qual asco vi a notícia de que uma jovem de aproximadamente 15 anos foi mantida presa por cerca de um mês com 20 homens (pff, tá ,abuso sexual agora é atitude de homem?!) na carceragem de Abaetetuba (PA).

E com outro susto eu vi que a discussão não girava em torno do abominável fato de que a jovem prestava "favores" sexuais à bandidagem em troca de comida. Bem, até falaram do acontecido, mas a coisa toda degringolou para o questionamento sobre a maioridade, ou não, da moçoila. Ma, Cuma?!? Faz diferença mesmo o fato de ser maior ou menor de idade?Poxa vida, só falando assim!!! Abusam de toda maneira de uma pessoa e tentam desviar o assunto de forma assaz grotesca... Só dizendo um palavrão: ITAQUAQUECETUBA!!!

Haháááá!!! Mas, o melhor da piada toda estava por vir: Não só uma jovem é presa com vários marginais, como abusada sexualmente, isso gera discussão sobre sua idade desnecessariamente e... PAM PAM PAM PAAAAMMM: Tinha uma cela (ou sala) vazia do lado daonde o horror todo rolou. Siiim, motivos excusos mantiveram meliantes masculinos com a moça. E o trágico (se não fosse assim, seria cômico) é que o delegado-geral de lá (de Abaetetuba, CATZO!) afirmou que a jovem sofreria de algum problema mental por não ter dito que era menor de idade!

E lá vamos nós denovo ouvir bravatas sobre idade com a bananosa sendo escondida embaixo do tapete bem na nossa cara.O fato é que o senhor Raimundo Benassuly (o delegado-geral da polícia civil do Pará deixou o cargo em 28/11/07 após tais afirmações. Se o trabalho da polícia civil é a investigação...sei não, acho que tá deixando a desejar. A governadora, Ana Júlia Carepa, aceitou a renúncia dizendo que a permanência dele (do delegado, carai!) tornou-se insustentável após impropérios disparados à queima-roupa.Violência nas barbas da administração pública e a preocupação é com a idade da menor.

É tão relevante quanto a seguinte situação:Tia, vem um tsunami ali... Ponho o tapete pra dentro?

(FGarcia pede desculpas pelo trocadilho safado do título)

Nenhum comentário: