Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Placebol

Fim de campeonato (oficialmente) e é hora para um balanço geral (“Escraaaaacha!”). No geral, foi como todos os outros: A marmanjada ganhando pra correr e chutar bola enquanto são criticados ou enaltecidos pelo público e imprensa. Mesmo público que chora por ficar umas horinhas em fila de banco, mas passa três (3) dias (disse:DIAS!) pra comprar ingresso de jogos.

O milésimo gol de Romário saiu ainda no início do campeonato (quando o Vasco e o Botafogo, lindos cavalos paraguaios, iludiam suas respectivas torcidas com suas campanhas enganosas de briga por liderança e vaga na libertadores). Os “framengu” fizeram uma campanha admirável (o inverso das melancólicas passagens de Vasco e Botafogo pelo ano de 2007) com sua vaga na libertadores e a quase vice-liderança do brasileiro. O tricolor carioca (Fluminense, oras!) também fez muito bem com o quarto lugar (o que daria a vaga na libertadores se essa já não tivesse sido garantida pelo título da copa do Brasil).

Tá, o (muito comentado) rebaixamento do Corinthians não vai ser o último assunto deste post, mas gostaria de comentar, só, que ver Carlos Alberto Parreira apontar possíveis problemas que teriam levado a isso e possíveis soluções pro ano que vem foi hilário. É a mesma pessoa que, apática, viu sua equipe (a seleção brasileira, porra!) levar um sabãozinho dos franceses de forma esdrúxula. E a resposta dele a respeito foi o quê? O negócio é lamber as feridas e bola pra frente. Sim, achei escroto da parte dele e mais alguns medalhões falarem isso, mas concordo. Eles jogam/trabalham por dinheiro, é a profissão deles. Você fica explicando alguma mancada no serviço ou age: “Tá, chefe, não vai se repetir”? A torcida é que precisa rever as prioridades e o que realmente é relevante na sua vida.

A polêmica do possível primeiro pentacampeão brasileiro ( Post: "Pintou um penta?!") foi destaque bem antes do final do campeonato (umas quatro rodadas antes quando do título antecipado do São Paulo). Bem, sobre isso, gostaria de responder o que um amável leitor misterioso despejou na área de comentários do referido post sobre esse assunto (O mesmo post que eu indiquei no outro parênteses, CATZO!):

Caríssimo(a) “anônimo”,

sim, sou vascaíno, mas não dou a mínima pra quantos títulos o Vasco tem. E, amigavelmente, gostaria de dizer um segredinho pra você: NÃO importa quantos títulos seu clube do coração tem, ele NÃO sabe que você existe. Ele NÃO vai te emprestar a taça pra tirar onda, ele NÃO vai te pagar pela calorosa torcida e nem vai dividir a renda dos jogos contigo. Na verdade, você ajudou a financiar o espetáculo se foi aos estádios ver jogos (e isso é assunto de cada um). Quanto a suas palavras carinhosas, te desejo o mesmo com intensidade e em dobro. E como destaque final do MEU direito de resposta (no MEU blog) , gostaria de te dizer: Vaga na Libertadores NÃO é título e muito, disse MUITO obrigado por acessar este espaço e postar sua opinião (sério, muita gente não dispensa essa atenção). A coisa toda é feita pra você que quer debater qualquer assunto mesmo. E seu vocabulário é deveras requintado. Poderia ser menos polido pra eu entender as considerações que teces? Fomentaria o ardor do hábito da leitura que vive em nós e teria minha total aquiescência, morou?

Beijundas!

Nenhum comentário: