Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Fé x Ciência x Verdade


Não existe o contrário de fé. Fé é algo que se alimenta por acreditar muito em algo. Se você vai a uma entrevista de emprego é porque você tem fé que vai conseguir. Você não pede a um cientista pra avaliar suas chances, calcular que desde o início dos tempos certas probabilidades podem te impedir ou facilitar o sucesso. Fé não tem oposto. Alguém vivo que não acredita em nada - nem que o pão com manteiga caia virado, é alguém que está em estado vegetativo.

Volta e meia esse assunto me vem â mente. Você é ateu e acha que o conceito de Deus é um conto de fadas, um amigo imaginário, uma fantasia, uma imbecilidade... Ou seja, acreditar cegamente em algo que você não pode provar de forma concreta é se enganar por medo. Aí, os ateus tentam empurrar que as coisas precisam ser provadas de forma científica para serem reais.

Logo, se o vento fosse uma ilusão coletiva, nada de pânico, é o ar se movimentando. Fácil acreditar no ar. Você não vê, mas sente (Deus?). E tem mais, ateus choram feito ninjas silenciosos quando contestamos sua incontestável ciência. Fé x Ciência é uma polêmica tão antiga quanto desnecessária. Nunca vi ciência ser apontada em qualquer dicionário como oposto de fé. Um médico católico deve ser um paradoxo pra essa turma incrédula.


Aí, vem minha teoria: A maioria dos ateus, assim como muitos religiosos, não escolheram esse caminho, na verdade, escolheram o caminho oposto por rebeldia. Pensa com o tio Sagatiba, você ouve que se não for bonzinho, vai queimar no lago do inferno (nem adianta nadar). Por outro lado, você precisa atender a certos preceitos para receber recompensas de Deus. Oras, fácil alguém querer se desvencilhar desse ciclo vicioso. Mas, o que os ateus não pensam, é que esse conceito de deus interesseiro e ciumento é próprio de algumas castas religiosas. A verdade é que ninguém, de fato, viu Deus pra bater um papo e perguntar a ela "O que é isso tudo?".

Não há provas concretas de Deus? Ponto pro ceticismo, já que a ciência atesta que o universo surgiu de uma explosão. Nada mais lógico do que pensar que fazemos parte de uma massa caótica que surgiu do acaso e vai por acaso pro buraco. Mas, se fossemos fazer uma associação entre fé e ciência, a fé estaria acima e ao lado da ciência, não no mesmo patamar. Pois um dicionário não nasce da explosão de uma tipografia, assim como um universo precisaria ter um início determinado que influenciasse os caminhos dele.

Além do que, ateus têm fé na ciência. Já reparou como eles a usam pra justificar e contestar tudo? Pessoas que não admitem, mas também têm fé e só a direcionam para outra "entidade". Ou você acha que existia algum cientista lá no "Big Bang" pra atestar que era uma explosão e o caminho que tudo percorreu a ser como é hoje? Tudo especulação, já que saber mesmo o que aconteceu é impossível.

É só pensar que há alguns séculos, as mentes pensantes mais inteligentes do mundo tinham certeza de que a Terra era chata (naquela época? devia ser... nem uma roda de samba?). Os gênios de outros tempos tinham certeza de que a Terra era o centro do universo. Dinossauros já foram lagartos, hoje praticamente são considerados ancestrais dos pássaros e não dos répteis, enfim, deu pra entender, né? Daqui a tempos outras teorias vão surgir e ninguém vai conseguir provar quem está certo ou errado. Vai restar a especulação e a, adivinhem, fé.

Fé e Ciência não são opostos. Só são subjetivos, por isso, podem alimentar argumentos antagônicos e polêmicos.

Nenhum comentário: