Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

domingo, 2 de outubro de 2016

Afinal, anular voto em conjunto anula uma eleição?



Ok, mais uma eleição e mais uma vez temos que ficar nos deparando com aqueles textos imensos e chatíssimos de alguém que sempre assina com um nome genérico e se fazendo de dono da verdade, voz do povo de bem e aquele blá, blá, blá típico do Homer Simpson da gente, aquele tipão comum que não pensa nem pesquisa os assuntos que acha que entende porque compartilhou algo no face ou lançou em algum grupo de whatsapp. É tipo aquelas páginas ‘revoltados online’ e essas coisas, pretensos e falsos defensores da ‘moral e dos bons costumes’ que só querem fazer o rebelde sem causa, mas que acabam obedecendo apenas o senso comum. Enfim... vamos ao que interessa...

A cada dois anos surge pelo menos um texto repetido à exaustão e que é mais chato que aquele bêbado carente que quer conversar, mas não consegue mais articular palavras simples e inteiras: O tal do voto nulo. Afinal, voto nulo anula a eleição, Saga?

NÃO. Sonoramente – dentro das possibilidades limitadoras de um texto escrito – um não bem alto e bem marcante pra ti, gafas (diminutivo de gafanhoto, Rá!). Não sei quem inventou essa de todo mundo juntar a galera pra sair anulando votos e muito menos quem levou a sério que isso afetaria uma eleição. A determinação é básica: É preciso que um candidato a cargo eletivo tenha 50% + 1 dos votos. Se você, seu amigo compartilhador de boatos e seu cachorro (se fosse legalmente um leitor) anulassem seus votos em conjunto, mas o próprio candidato e a mãe dele votassem nele – ZAZ – Ele venceria. Entendeu, pequeno gafanhoto? A única coisa que o voto nulo faz é ser nulo. A única coisa que o voto nulo anula é ele mesmo. Ou você mesmo, de um ponto de vista poético.




Se Batman, ou melhor, Bátema e Superman concorressem à prefeitura de GoTCHAN City e geral anulasse os votos menos seus amigos e familiares, os 100% dos votos válidos seriam dessa turma restrita e dali é que se contabilizariam os 50% + 1 pra definir o resultado da eleição, sacou? Você tem todo direito de anular seu voto, já que ir votar é obrigatório por lei, mas não é obrigatório você ter em quem votar ou mesmo ter opções e escolher não escolher ninguém (hien?!). Se voto nulo resolvesse alguma coisa, seria errado por lei. Rá! Eles não dão ponto sem nó, não dão e nem dariam esse mole pra gente resolver algo de forma tão fácil e pacífica.

E eu ainda lanço outro questionamento que obviamente você não se fez, se for desse tipo que repassa boatos sem nem saber de onde surgiu a história: Tá, vamos supor que seu voto nulo é poderosíssimo e fez com que outra eleição com outros candidatos fosse convocada... Quem seriam seus novos candidatos? Marcianos? Porque se fosse pra sair outro candidato da mesma galera que você acabou de manifestar protesto... acho que seu plano é meio que furado, bacana. Porque você pensou (?) que esse plano seria tão perfeito se partidos políticos são repletos de gente aliada? Tá, caem Bátema e Superman e se convoca outro pleito com Lanterna Verde e Mulher-Maravilha... ALOOOOU! Ainda é a Liga da Justiça, parceiro. E mais importante, ainda é o planeta Terra, ainda é a mesma máquina capitalista, mesmo sistema excludente opressivo... enfim... Pobre aquele que acha que somos comandados só por políticos e não por empresários e demais aliados interessados (e interesseiros)... mas deixa quieto, o foco aqui é falar que voto nulo anula só ele mesmo. 

Todo revoltoddy é assim. Só sabe dizer que tá errado, mas é muito mais parte do problema do que da solução.

É uma legítima manifestação de nada. Anular eleição é só pra casos de fraude ou irregularidades como encerrar votação antes das 17h, fazer votação fora de dias, horários e locais determinados por lei e essas coisas. Ah, já ia esquecendo, Também tem a lenda de que voto em branco é votar no candidato com mais votos... Outra besteira. Isso vem da época que se usava cédulas onde, por meio de fraude, obviamente, alguém poderia usar uma cédula em branco pra preencher em favor de qualquer candidato. O nulo também não tem esse poder indireto de favorecer quem estiver mais votado. Só um voto válido direcionado contabiliza.  



Outra hora eu apareço de novo pra falar mais sobre outras bizarrices eleitorais como atribuições de prefeitos que nem presidente faz (tipo acusações de que determinado candidato legalizaria maconha, armas ou coisas do tipo, sendo que nem são competências do executivo municipal) ou ainda a ideia de milhares de vereadores se achando os tais e não fazem o seu basicão que é criar projetos de leis pro município. Tem muita coisa errada no senso comum sobre eleições e administração pública. Muita coisa mesmo. Vamos pesquisar, galera, conhecimento não nasce sozinho, tem que meter as caras nos livros, sites, conversar com quem entende mais... Nada de comprar nem vender peixe podre. É vergonhoso falar algo que não é verdade e depois se arriscar a ser confrontado por isso. E a caroça onde tu enfia de vergonha? Aceita sugesta? Rá!


Fonte: TSE

Nenhum comentário: