Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Violência Psicológica


Todo e qualquer relacionamento em que uma parte precisa se sentir dominante através do ataque à auto-estima/auto-confiança/amor próprio do outro É UM RELACIONAMENTO ABUSIVO! Pode variar até o nome (assédio, bullying, etc), mas tudo causa o mesmo efeito... ou melhor, a mesma gama de efeitos.

Nem sempre transparece, mas isso causa ataque de ansiedade, insegurança e, muitas vezes, a sensação de dependência emocional da parte oprimida. É quando a pessoa faz parecer um gesto de carinho xingamentos, críticas e outras formas de limitar e controlar o comportamento alheio. Sobretudo mulheres e crianças, entre outros tipos de condições, como emprego, escola, casa, etc.

Sabe aquele cachorrinho que mesmo apanhando se mantém fiel ao dono, fazendo de tudo pra agradar? Pois é, essa é a pessoa sofrendo abuso psicológico de quem acha que precisa ter amor. São sinais como rejeição, indiferença, crítica, humilhação, ameaças e outros que provam o quão estúpida é a pessoa que pratica e não a que sofre.

Não permita. Não se encolha com o rabo entre as pernas. A parte culpada é a que controla. Essa parte é a que depende de alguém pra se sentir menos insignificante. Essa é a parte que precisa de um psicólogo já. Na boca de quem não presta, o oprimido não serve pra nada. Engraçado que pra estar ali à disposição dos insultos, ela presta (?).

E eu nem preciso falar de quando a opressão chega ao campo físico, né? Mas a violência psicológica não deixa hematomas, acaba sendo mais complicado de perceber em si e nos outros. Dependa de si e não dos outros. Muito menos de quem deveria acolher com amor e proteção, mas, pelo contrário, age com mais crueldade do que um estranho da rua.

Nenhum comentário: