Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

sábado, 23 de dezembro de 2017

Falcão, Pablo Vittar, Tico e as críticas respondidas


Falcão, o cantor nordestino, não o vocalista d'O Rappa, fez críticas a Pablo Vittar, sobre sua performance cantante. Tico Santa Cruz saiu em defesa da cantora e os dois têm sua razão, mas precisam analisar mais minuciosamente a questão, pois um ponto de vista mais lógico passa e se alimenta necessariamente nos dois pontos de vista, na minha opinião. Concordo com Tico Santa Cruz ao defender a importância de Pablo Vittar na representatividade trans na sociedade e na cultura pop... Palmas e o Tocantins inteiro para a artista! (mas defender seus desafinos e falsetes pode ser uma arapuca que queimará o filme lá na frente. Sabe, daquele tipo que ganha o respeito pelo lado social, mas perde pelo lado artístico?).


E o pior de tudo é que a maioria nem sabe diferenciar. Tem homofóbico que nem entende de música criticando, tem lgbt defendendo falhas técnicas e artísticas confundindo arte e representatividade... Enfim, ainda não se preparou a sociedade pra debater o assunto sem vícios, maldades e discernimento das particularidades do tema. Mas é legal que se levante a questão hoje, pra que o assunto amadureça e, um dia, tomara, possamos conversar sobre isso como tem que ser, isto é, de modo a comportar essa fatia da sociedade de modo a serem vistos como cidadãos e cidadãs trans e que isso signifique a normalidade no que diz respeito a aceitarmos que existem pessoas diferentes do protagonista da novela e que ser diferente não é um crime e nem diz respeito a ninguém, restando o respeito da população em geral.


Minha preocupação mesmo é que na ânsia de se legitimar um importante passo de representatividade gay/trans, o lado musical fique blindado no velho clichê, já citado, de um lado não aceitar críticas achando que é tudo homofobia, muito menos o outro lado achando que tudo se defende porque é gay/trans. Isso só esvazia o bojo do rico assunto a tratar e corre o risco de aceitarmos apresentações cantadas assim:

Defesa contra crítica não pode ser blindagem contra críticas. Não sei se Falcão usou de alguma homofobia pra criticar, pois conheço gente bem ruim que tá aí na praça há tempos e só agora que ele resolveu bater no alvo da vez, Pablo... Ou só agora que ele falou em Vittar que a mídia deu destaque pra por lenha na fogueira e vender com a polêmica, vai que ele já criticou outros e ninguém deu atenção...... Por outro lado, eu, particularmente, vi performances da cantora que me deixaram desconfortável quanto à afinação e respiração. Não sou nenhum expert em técnicas vocais, mas pegar em microfone pra cantar e conviver com cantores de ocasião ou estudiosos, ah, isso eu sei. Mas a discussão saudável é importante nesses detalhes. Fontes: http://revistaquem.globo.com/QUEM-News/noticia/2017/12/falcao-critica-pabllo-vittar-criatura-pra-cantar-mais-ruim-do-que-eu.html https://extra.globo.com/tv-e-lazer/musica/tico-santa-cruz-defende-pabllo-vittar-apos-criticas-de-falcao-22218086.html

Nenhum comentário: