Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Violência cotidiana

Novamente estamos diante de um caso de violência praticada por menores de idade(o que pra mim não faz qualquer diferença) contra pessoas de bem. Eu me pergunto se um dia a lei de Murphy nos deixará em paz permitindo que bandidos finalmente se toquem que quem tem dinheiro mesmo não anda por aí em carros populares freqüentando faculdade e vivendo de trabalho assalariado. Eles poderiam começar a violentar suas próprias mães(ah, não, como diz minha madrasta, eles têm mãe na zona). Bem, desculpe a grosseria da frase anterior, é que me causou revolta saber que até o bandidinho de 18 anos que assaltou, violentou e matou uma estudante será julgado como menor porque o crime foi cometido 5(é, CINCO!!!) dias antes de ele completar maioridade.

Bem, tomara que ainda valha aquela história que estupradores encontram um “cantinho aconchegante” em alguma instituição penal(claro, porque imaginar que vamos sustentar esses vagabundos lá me causa asco).

Tom irônico modo ON:
“Mas, rapaz, você é vingativo, heim!”, “Eles são humanos!”, “É culpa da sociedade!”

Tom irônico modo OFF:
Frases como as supra-citadas não valem nem como clichês de demagogos hipócritas e moralistas. Porquê? Simples, gafanhoto, enumerarei pra ficar mais didático:

1) Não penso em penas violentas(estilo olho por olho) por vingança, mas porque, pelo menos, saberemos que o cara que apronta uma dessas é mau mesmo e não só um oportunista que se beneficia da lei mais que nós, humanos. E essa última palavra nos direciona ao próximo item.

2) Ser humano não é exatamente uma descrição exata(exatamente exata... ah, tá), acredito que seja um conjunto de características e eles NÃO se adequam a esse contexto porque quebram a primeira “regra” que seria respeitar a vida do próximo. Pô, de quantos leões, focas ou ornitorrincos você ouve falar que mataram seus semelhantes sem motivo. Bem, talvez uma disputa de território, fêmea ou algo assim, mas nunca violência gratuita ou superficial.

3) E dizer que a culpa é da sociedade, que ninguém quer fazer a sua parte, eu acho hipocrisia, a sociedade não finge que nada está acontecendo, ela tenta viver apesar dos pesares.

Humanos...pff!! Eles parecem gente assim como adoçante parece açúcar e carne de soja parece carne.
Ninguém intercede para modificar o código penal ou a constituição em favor dos direitos humanos, sempre intercedem em favor dos bandidos que sofrem alguma violência.
Aliás, mesmo que se modifique algo daqui a 5 segundos, a lei(e eu chamaria de mamãe) brasileira não retroage se não for em benefício do pilantra, isto é, mudanças na lei só se aplicarão aos que cometerem os crimes previstos APÓS as alterações. Os que já cometeram continuarão a responder à lei como ela era antes de mudar. Isso SE mudar. Pode imaginar isso? O cara é preso por um crime e, além dos inexplicáveis benefícios por bom comportamento(Porra, Garcia, ele num entrou lá pra isso mesmo?), o pulha só entra em possíveis alterações de lei retroativas se for pra ter vantagem...
Achismo meu: Ai,ai,ai, os caras estavam com tanto trauma da ditadura militar que resolveram compensar com uma constituição feita mais para "educar" o manganão do que para punir um ser que atenta contra vida alheia. Aff!!!

4 comentários:

Andre disse...

o mais interessante nisto tudo é q é um comentario preconceituoso, incisivo, cru, insensato e faz com que voce concorde com tudo o que leu nele.

parece uma critica de filme no O Globo, nao? mas, pode parecer que nao, foi um elogio.

é bom saber que eu contava com outras mentes pensantes naquele maldito colegio mercurio...
ah, por falar nisso, aproveita e ve o meu flog tb. o link vc encontra na minha pagina do orkut (o unico Andre Nerys). so que tenho-o a mais tempo, logo, tem mais postagem. eu sei q vc vai ter paciencia para le-las.

abracos. procure manter sempre uma constancia de postagem para que as pessoas sintam vontade de acompanha-lo. (faça o q eu digo, nao faça o que eu faço, como vc vai notar nas minhas postagens)

Anônimo disse...

Como exigir humanidade de um cidadão que foi desumanizado durante toda sua vida?
Os direito humanos existem sim, mas não se aplicam aos bandidos pobres segundo a polícia ostensiva atuante em nossa pátria - não seriam estes humanos.
Na verdade você quando vê um mendigo esmolando, um pivete cheirando cola ou qualquer destes trapiches de gente perambilando pela rua duvido que você pense "ai... coitado daquele humano". Porra nenhuma, você pensa "q merda, já vem me pedir $".
Logo, a relação é bi-lateral, o sujeito nunca é visto como humano por quem tem estabilidade e é detentor de bens. Porém, exige-se deste marginal, pária da sociedade, que este - destarte nunca ter se enquadrado na categoria de humano perante seus pares - entenda que a vítima de seus roubos, furtos e ganhos seja uma pessoa humana.
Ora senhores, se vc sente fome e, sabendo que as pessoas as quais você dirige seus pedidos de comida também sentem fome, logo sabem o q vc sente, e podendo ajudar, se negam. Qual a atitude mais humana, aceitar a negativa ou usar da força e da violência pela sobrevivência??? Não há nada mais humano que a luta pela subsistência, pela sobrevivência, é o mais forte instinto humano sem dúvida.
Claro que temos exceções, gente de má índole mesmo, que apresente nítidos transtornos (Perversão, Sociopatia, Psicopatia, etc...) e fogem (ou exarcebam) a natureza humana.
Mais no geral, na estatística, a violência é praticada para a satisfação de necessidades primárias.
O problema é que não é só roupa e comida. Na atual sociedade capitalista de consumo da qual somos parte integrante, um NIKE, uma MOTINHA e uma SKOL são exemplos de necessidades primárias, pois sem estas pontes não alcançamos a satisfação, o lazer e sequer reproduzimos (alguns) uhaauhuuhuahuha... tá legal peguei pesado, rs...

Por favor amigo, não culpe as leis, elas tem motivo pra estarem aí e só mudam para o melhor da sociedade.

Abs e boas divagações!

FN disse...

Hauhauhauha

Meu querido amigo anônimo.
É juiz, advogado ou coisa parecida?
Se for não havia necessidade de defender a justiça anonimamente. Pelo contrario ja q quer fazer bonitinho mostre a cara. rsrs

E se não for, não entendo.

Não me venha dizer que essa justiça arcaica, essa constituição de uma época que não existia nem metade da tecnologia atual(a qual infelizmente colabora em muitos casos para que se comentam golpes e etc) é capaz de 'cobrir' os casos do século 21!

Garcia fez uma crítica a justiça? Fez, mas com consciência.

O caso tratado especificamente é o da jovem que foi violentada em todos os sentidos. Até depois de morta!!! O que é um absurdo.

Você, amigo anõnimo, teria sido mais feliz se tivesse incluido esses covardes na lista de psicopatas, ou seja, dos que 'fogem a natureza humana' como você mesmo disse.

Moro numa comunidade carente, ou numa favela como prefira chamar, nme por isso me sinto obrigada a assaltar ninguém, até porque ainda não precisei chegar a extremos que agridam os meus princípios.

Um detalhe interessante, você acha justa uma pseudo-justiça que põe na cadeia um pai de familia que rouba uma banana que seja porque ve os filhos passando fome mas 'passa a mão na cabeça' de um safado mais conhecido por deputado corrupto que rouba o dinheiro de milhões de brasileiros???

É um direito que você tem de tentar defender esta justiça capenga, mas cuidado.

Talvez você seja mais cego do que a justiça.

André Rodrigues (Ex-Anônimo) disse...

Bom, apesar de anônimo devo dizer que sou fiel às minhas teses e que, tal qual a dita FN, cujo sigla ou afim mais me parece um vulgo o que lhe atrai idêntico condão de anonimato, também resido em área denominada carente ou de risco, frequentei e frequento favelas cotidianemente e em mesma via participo de palestras na OAB e no CRP, os quais fazem muito mais do que eu e você em nossa discussão inerte.
Do que a sua pessoa precipuamente, vez que ao se utilizar de verborragia e sofismas, desfoca a questão falando sobre os extremos "pai de família" e do "corrupto ladrão".

Por favor sem arquétipos!!!

Após este intróito, vamos as vias de fato:

1)Essa "Justiça Arcaica" => Na verdade você quis se referir à legislação creio eu, tendo em vista que a justiça encontra-se assaz evoluída, inclusive se utilizando de penhora on-line (caso onde o juiz entra na conta do devedor através de um sistema (Bacen-Jud) e bloqueia o valor devido para entregar ao credor), audiências realizadas por tele convenção e alguns items mais.

Sem perder o foco, no tocante à LEI, esta não é sob nenhuma hipótese arcaica, e lhe digo porque:

Você sabia que a lei não diz o que pode ser feito, de forma alguma, a lei penal apenas diz o que NÃO pode ser feito. E, caso feito, a pena cominada.

Assim, lhe desafio a praticar alguma conduta moderna, comtemporânea ou até futurista criminal ou que cause prejuízo a outrem em seu proveito e que a LEI não haja previsto punição!!!

Exatamente, a LEI, derivada de nossa Constituição datada de 1988.

2) O caso tratado é "especificadamente" o da jovem que foi violentada => DISCORDO!!

O nome postado foi, violência COTIDIANA. Logo, um único e exclusivo fato isolado não aduz a situações cotidianas e rotineiras de violência, o que entendo ter gerado o estopim do assunto.

3) Moro numa comunidade carente e nunca roubei ninguém=> IRRELEVANTE.

A minha colaboração foi no sentido da desumanização que vem ocorrendo, cujo fito provocou a violência cotidiana que nos deparamos.

Assim, independente de razões sociais, geográficas e culturais. A desumanização é um fator degradante.

Ex: Para os pitboys as prostitutas não são humanas, não fazendo jus aos direitos humanos (respeito à integridade física, psíquica e mental, direito de ir e vir, etc...) Já para os detentos da casa de custódia Ary Franco, onde os pitboys estão presos, ELES é que não são humanos. Já para alguns policiais, os detentos é que não são.

Indago, será que você nunca experimentou esta situação de desumanização, seja de forma ativa quanto passiva?
Se sim, o que fez com isso?

Por derrradeiro, só um conselho, indague e não afirme, pois a taxativa lhe elide de crédito, tenha certeza que não defendo político corupto e nem pai que rouba pra alimentar o filho, mas fico muito feliz em viver em uma sociedade em que ambos terão direito à sua integral defesa.

Será que não é melhor para todos assim?

Por todo o exposto, tenho que não defendi em nenhum momento o assassino violentador, até porquê ele não me pagou (pronto revelada minha posição)!
mas defendo sim nossas leis, que podem não ser adequadamente aplicadas, mas que são tão perfeitas quanto o ser humano merece!