Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

A Opção Sexual... Opção?


Quando se fala em homossexualidade, de onde vem isso e como acontece, a primeira discussão é entre quem acha que é opção sexual e quem afirma que isso é de nascença. Vamos analisar as possibilidades de cada uma das correntes?

Se você acha que a pessoa escolhe ser gay a partir de algum momento na vida, então você pode dizer que o homo é um sem-vergonha que poderia ser "normal", mas não o quis. Preferiu tentar atingir a toda a sociedade decente com seu comportamento promíscuo, numa clara intenção de chocar famílias tradicionais e de bem. Tradicionais? O que é tradicional? (bem, isso merece um olhar mais atento, então, entro nesse mérito em posts futuros). No mais, se você tem certeza que o gay o é porque quer, você se acha no direito de "discordar" de sua personalidade. Pensando que isso é só um detalhe de caráter e comportamento, você diz que, com certeza, essas pessoas preferem criar uma boa polêmica incomodando os seres "superiores", quando poderiam, simplesmente levar suas vidas normais, héteros, trabalhadores e com suas vidas amorosas e sexuais bem resolvidas.

Agora, se você, como eu, acha que não só não é um mero detalhe comportamental, como trata-se de um traço de nascença (há quem afirme em questões de outras vidas, mas não vou por esse lado), então você pode respeitar um ser humano, que, no frigir dos ovos, simplesmente é o que é e não importa se não é como você, já que não é você que vive a vida daquela pessoa. Achar que isso é uma opção é achar - burramente - que todos teriam essa opção. Na boa, não escolhi ser heterossexual. Nasci assim e sou muito bem resolvido, não só quanto à minha sexualidade quanto à minha personalidade em geral. Ou seja, se um gay escolhesse o ser, estaria escolhendo todo um pacote de características e possibilidades em sua vida, que praticamente teria que cursar uma faculdade pra aprender. Mas, acho que algo é característico quando você o faz de coração, não?

Pensar que sexualidade é uma questão de opção é admitir que tudo na vida é opção. Você não nasce com jeito extrovertido, você escolheu ser assim; você não nasce com jeito para desenhar, escolheu ser assim; sendo assim, a expressão "talento nato" não existe - e se torna uma grande mentira, nada de dom divino, ou aptidão própria. Tudo é escolha. Aliás, já repararam que a heterossexualidade é tão "normal" que nem se conta isso nas pessoas, mas a hossexualidade sim, essa vira a identidade?

Falando sobre um 'hétero':
Lembra daquele cara do colégio?
Quem?
Um CDF que te ajudou a passar de ano...

Falando sobre um 'homo':
Lembra daquele cara do colégio?
Quem?
Um vIadinho CDF que te ajudou a passar de ano...

E que negócio é esse de achar que "respeito a opção" te faz um ser humano legal? Ninguém pediu sua opinião. Deve ter um monte de gente que "respeita sua opção" por alguma idiotice sua, mas ninguém levanta bandeira pra parecer tolerante. Desde que a "corja" não se aproxime de você ou de sua família, você respeita. Se se aproximarem, aposto (pelo menos 2 pra 1) que pessoas assim cochicham "boiola/sapatão". Não digo que uma criança já sabe se é ou se vai ser gay ou não, mas optar por esse caminho teria que ter muitas outras teorias pra embasar, já que "opção" sexual não poderia englobar sentimentos. Não se escolhe a quem amar, e não se escolhe que tipo. Não vê tanta mulher e tanto homem "hétero" que só namora quem não presta? Opção ou burrice?

O termo "opção sexual" realmente incomoda e reparei que só é usado por quem tem preconceito, mas não gosta - e/ou não consegue não consegue admitir. Nem vou comentar sobre as inúmeras denominações e siglas que mudam a todo momento buscando o politicamente correto perfeito, mas opção sexual, parece coisa de quem sai, olha uma vitrine e escolhe a peça que mais lhe interessa. A falha dessa teoria é que só satisfaz o ponto de vista de quem fomenta diferenças entre as pessoas, mas não atende à curiosidade de quem realmente busca debater sem julgar. Eu teria milhares de perguntas para os analistas do sistema social, afinal, sou um analista da problemática contemporânea assumido.

Acho que no caso de falar em opção, pessoas optam por assumir o que são e/ou o que vão ser perante a sociedade. Optar por ser, EU acho que não.

Nenhum comentário: