Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

sábado, 30 de março de 2013

Bate Tchan: Santa morcegada, Bátema!

Em 2000, o Cd marcava a estreia do vocalista Renatinho, que
substituía Beto Jamaica.

É pra falar do Bátema vindo do É o Tchan = Bate Tchan. E esse é só o começo da sequência infame ao extremo que vemos aqui nesta bela representação do cancioneiro popular. Rá!

Bem, de começo parece mais uma musiquinha do É o Tchan, com aquela levadinha de samba-de-roda, monossílabas e o nome da música logo de cara. Mas quando começa a letra, nosso querido Cumpadi Washington (TCHAN, tu tu tu tu paááá!) já de cara nos vem com "Se segure GoTCHAN City"... Tá, o nome do grupo fez um belo trocadilho com a cidade da morcega, mas ainda tenho minhas dúvidas se não foi um ato falho na pronúncia do mudo H, mas tá, não é pra levar a sério mesmo. Aí, vem um tal passo do Pinguim (fazendo assim, fazendo assim... assim o quê?) e chamando o Coringa (tingalagatinga, tingalagatinga... WTF?!) e chamando o Charada pra ver a popozada fazer a parada. Fora a palavra esdrúxula feita só pra rimar com o palhaço, o bobo, o jóker, o bobo, o jóker, não entendi lhufas.

Aí, quando você não sabe se ri ou se pula pela janela, seu tio Cumpadi já dá um grito estridente 'Robííííííííí!!!!' (sério, eu sempre lembro do quadro do Zorra Total que o Lúcio Mauro Filho gritava 'PAPÍÍÍÍÍÍÍ!!''). Por quê? Porque o universo do Bats é muito rico e repleto de personagens interessantes, e tem o menino vestido de duende que espanca bandidos ao lado de um adulto fantasiado de morcego, mas estou divagando (mais ainda). É nessa estrofe-refrão-estribilho (sei lá que p*rr é essa, tem tanta variação na melodia que parece uma colcha de retalhos) que Sr. W me faz lembrar as aulinhas de Inglês na escola e me solta um "vá chamar a BatGUÉL...". Hahaha, sempre achei engraçada essa pronuncia escancarada de 'girl'.

Fique com as palavras de sabedoria do eterno compadre do
Brasil, órdinária..
Depois ele fala em voar no passinho do morceguinho que nem aviãozinho (outra variação de melodia) e termina com "bate tchararan tchanranran..." até voltar para o refrão da introdução (UIA!), ou seja, umas 5 melodias diferentes pra você se divertir a valer, ÓrdinÁria (TCHAN!). Mas o legal mesmo é que uma característica recorrente daquele "pagode baiano" que dominou o universo em meados do '90's era o diálogo entre vocalistas durante as partes instrumentais ou repetições de refrão pelos backing vocals. Assim, temos a honra de ouvir pérolas como "mulher gatA", as referências ao dançarino/ator Jacaré "Jack Charadaaa" e o complemento do então estreante Renatinho da Bahia "cuidado que esse homem é perigoso"... pff...

Enfim, Bate Tchan é um petardo, é uma pérola é um achado, pena que não surgiu quando o grupo ainda
dominava as mídias, mas eu até gosto desse aspecto cult que essa música tem. E, pra finalizar bem, fique com o clipe, que pelo assunto e montagem, sempre me dá a impressão de que é parte da trilha sonora e divulgação do Batman: Feira da Fruta (posso falar nisso, mas só em um post específico, porque dá muito pano pra manga).

Ah, em tempo, eu gostcho muitcho dessa música, até porque música e gosto musical é uma coisa muito ampla pra quem é músico como eu. Eu curto a fina flor do Samba (e até virei pesquisador por isso), mas também curto muito Heavy Metal, assim como baião, coco, música clássica, dance, etc. Até funk eu curto numa festinha. Alelek não é pra ser levado a sério, o Iron Maiden tem um clássico muito bem tocado que se chama 'medo do escuro'... E aí? Nõ dá pra brincar também? Então que se brinque cada um no seu quadrado e não esqueç de ir no passinho do morceguinho junto com o ROBIIIIIIIÍ!

Nenhum comentário: