Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

O risco Brasil para a Copa FIFA 2014


O presidente da FIFA, Joseph Blatter afirmou, nesta quarta (18), que o Brasil pode ter sido uma escolha errada para sediar a Copa 2014. E vendo como os investimentos estão indo pra todo lado, inclusive lados obscuros da cidade, eu concordo. Pode vir o Ronaldo defender que a Copa vai deixar um importante legado para a população, que eu não tô nem aí. Primeiro, porque o ex-namorado das ronaldinhas não me fede nem cheira enquanto personalidade midiática de relevância (é, futebol pra mim é só um esporte e ele nem joga mais), e segundamente, que esse jovem conseguiu falar duas asneiras, uma hipócrita e outra escancaradamente mercenária. Ele disse que um país que quer sediar uma copa não precisa de hospitais, e sim estádios... Depois, falou que a população não precisa protestar, porque os países que sediam esses eventos dão um grande salto em questão de desenvolvimento e qualidade de vida.

Vá chupar cotoco de rabo de hiena, né, bacana? Pô, o Pan do Rio foi há 6 anos e não tem nada NADA que tenha sido aproveitado. Instalações abandonadas, complexos esportivos desfeitos, um estádio que parecia ser o carro-chefe do legado do Pan está interditado por já apresentar problemas de estrutura de uma construção centenária e por aí vai. Aliás, fora os transtornos do trânsito, aquela beira da Radial Oeste - justamente entre o Maracanã e a UERJ - está com construções derrubadas ela metade e faixas de protestos cobrando uma tal promessa da prefeitura de construir um polo automecânico no lugar - pra quem não conhece, ali é uma sequência de pequenas oficinas que tomam parte da pista pra quem vem pro subúrbio. Resumindo, nada NADA é aproveitado, porque se o interesse fosse melhorar a vida do cidadão, já teríamos visto resultados que não fossem placebos eleitoreiros, popularescos e interesseiros. Enquanto a gente tem que sair uma semana mais cedo pro trabalho, o führer governador viaja de helicóptero "porque é normal", ou seja, é porque ele tem poder pra isso e ninguém chia, né?  

Voltando à vaca fria, digo, ao presidente da FIFA, ele afirmou que os protestos são problema do governo do Brasil, mas que o que ele não quer é que manifestações atrapalhem o espetáculo pra inglês ver. Ele considera que o Brasil pode ter sido a escolha errada, mas se a gente lembrar, não houve escolha. Lembra que a Colômbia estava em disputa direta e saiu da competição meses antes do 'sorteio'? Pois é, aí, Blatter me manda essa "Para mim, estes protestos soam como alarmes para o governo, para o Senado, o Congresso. Eles devem trabalhar nisso para evitar novos protestos", ou seja, sua mãe te recomendando que se comporte na casa dos outros pra não passar vergonha (ela, de você), do contrário... ah, nem queira saber. Já vejo Pelé, o poeta, fazendo seu manifesto pra que esqueçamos os abusos centenários dos governantes pra que a orgia deles corra a contento (e até o baianinho Bebeto se "decepcionou" com Romário por não apoiar a suruba financeira). Blatter também diz que problema é seu não tem nada a ver com o momento tenso em que vivemos aqui: "A Fifa não pode ser responsabilizada pelas discrepâncias sociais que existem no Brasil". E, depois de uma lenga-lenga entre fazer média dizendo que protestos pacíficos são direito do cidadão, mas que não se pode aceitar esse comportamento de um país-sede, ele até que fala uma verdade: "Não somos nós (a Fifa) que temos que aprender com os protestos, mas sim os políticos brasileiros".

Sei não, hein, mas acho que vai dar merda. Os políticos estão tão com seus cus na mão nervos à flor da pele, que não me surpreenderia que a repressão voltasse com tudo contra a manifestação popular. Já temo que o clima de medo oprima - de novo - o Brasil, ou que se crie um estado totalitário em favor da boa imagem que eles querem inventar do Brasil lá fora e aqui dentro (os anos '60 e '70 e parte dos '80 ligaram e disseram que estão tendo um dejá vù). Muito dinheiro investido e muitos interesses futuros estão envolvidos. Acho que muita gente sairia perdendo de goleada se o evento miasse. Então, tenho certeza acredito que cancelar o evento é algo impensável, mas o que vai se fazer pra garantir isso, aí é que anda meu pessimismo.

Fonte: Super Esportes.

Nenhum comentário: