Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Não, Veja!

Não acho que uma pessoa vire santa só porque morreu,
mas daí você aproveitar justamente a morte dessa pessoa
pra cuspir marimbondo assim, chega a ser anti-ético

A revista Veja já acusou pessoas como culpadas. Pessoas que foram inocentadas. Porque? Porque é mais fácil fazer uma retrataçãozinha perdida na revista do que perder a chance de causar com sensacionalismo, o que garante muito mais vendas do que notícias e ganchos corriqueiros, coisa que todo mundo profissional ético precisa fazer.

Recentemente, tivemos o caso dessa bizarrice hipócrita de achar que os gays é que são intolerantes por reagirem com revolta quando um pseudo-líder político financeiro religioso promove o ataque de sua turma a quem, segundo eles, não aceita Jesus e se comporta contra a família brasileira. Nem vou entrar nesse mérito, porque é dar atenção demais a esses palhaços, mas medite, uma revista que publica uma piada como se fosse coisa séria, só por causa do sensacionalismo que poderia provocar, merece ser levada a sério?

Se eu catar cocô dos meus cachorros com isso, tenho certeza de que o que o papel carrega é mais valioso do que aquilo que está impresso nele.

2 comentários:

Erika disse...

Só no meu país...Trágico!

Erika disse...
Este comentário foi removido pelo autor.