Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

domingo, 16 de junho de 2013

A negação do Brasil na TV


Semana passada o Jornal Hoje falava sobre culinária de festas juninas e me vem com essa

"(...) influência dos índios, mas principalmente, dos escravos (...)".

Ou seja, todas as raças do mundo já foram escravas, mas só o negro é que ganhou o 'apelido".

Virou sinônimo?

Não aceito.
Uma emissora que comporta alguns dos nomes mais famosos do jornalismo escolheria palavras de forma tão leviana e aleatória?

Duvido!

É o preconceito que a poderosa e fascista Rede Globo perpetua por pura necessidade de que a mentalidade do brasileiro não mude. Já que perderia público, se fossemos mais inteligentes e exigentes.

Propaganda ideológica na Globo. Negra lendo que não há
racismo aqui. Livro de Ali Kamel, chefão do jornalismo
na Globo. Isso sim é racismo!
Seja patriota, escolha um time para dedicar seu coração - como se fosse sua família ou um amigo seu - e assista ao noticiário que apenas mostra como verdade o que está errado há séculos.

Graças à educação pífia que recebemos na escola, as aulinhas de "moral & cívica" te ensinaram que só militares e intelectuais foram famosos heróis, enquanto o negro nasceu escravo, ou foi escravizado pelo próprio negro, como se rivalidades entre tribos se comparassem ao comércio de 300 milhões de pessoas para outro continente.

Não é paranoia, é que o processo é tão sonso
que a maioria nem percebe que está sendo
manipulada, induzida a pensar o Brasil assim.
É muito cruel perpetuar essas falsas verdades. Um Brasil que não tem negro e não é racista, não é homofóbico, não é machista e, no entanto, esse modelo de Tv que fazem aqui comprova tudo isso ao contrário. Quilombolas descendem de escravos, como se negro fosse significado disso, mulher não faz humor, só se for faladeira, fofoqueira ou gostosa (diz aí, quando você olhou uma mulher de biquini, desmaiou e começou a gargalhar?)... Acredito que há uma ingenuidade nas mentes por trás da mídia, tão ingênuas que precisaram moldar um padrão pobre e limitado, mas que deu certo e a mentalidade geral do brasileiro aceitou o caminho fácil da não contestação. Aceitou se ver onde não é representado.

Assim, você aprende que a escravidão existe desde os dinossauros graças ao negro que é racista e recalcado, até que um dia surgiria a heroína branca e feia que nos tiraria do calvário e nos daria a liberdade.

De mãos abanando, claro, mas isso é detalhe, afinal o Brasil não tem negro, só mestiços, no máximo, mulatos. É só olhar a verdade por aí, olha nas novelas, como somos homogêneos, quase não tem preto, quase não tem gay e quase não tem deficiente, quase não tem... verdade.

Um comentário:

brunaabora disse...

Baixar o Documentário - A Negação do Brasil - Uma viagem na história das telenovelas no Brasil e uma análise do papel nelas atribuído aos atores negros - http://mcaf.ee/m82ze