Crônicas, divagações e contestações sobre injustiças sociais, cultura pop, atualidades e eventuais velharias cult, enfim, tudo sobre a problemática contemporânea.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

BOATO: Congresso aprova projeto de lei que acaba com 30 dias de férias dos trabalhadores



Gente, mais uma vez, o pessoal dos boatos ataca. Vamos ter atenção pra não sair repassando mentiras, pois a coisa não tá fácil. Já inventaram fim de décimo terceiro, bolsa prostituição, busto pra condenados à morte e a lista só cresce. Bem, a da vez é o fim de 30 dias de férias para trabalhadores.

Segundo o boato, o Congresso teria aprovado um projeto de lei 12 mil não sei das quantas que acabava com os 30 dias de férias, reduzindo para 14, e ainda o fim do adicional de 1/3. Esse alerta teria sido feito pelo Deputado Federal José Bonifácio, dando conta de que tudo ocorreu em segredo para que a população não pudesse se manifestar.

Vamos esmiuçar a balela. Teriam sido aprovados no Congresso apenas 14 dias de férias e o fim do adicional de 1/3. A mentira morre logo que você acessa o site da Câmara dos deputados e descobre que não há deputado José Bonifácio. Aliás, esse é um mecanismo muito comum dos boatos, se garantir numa prévia impressão generalizada sobre algo e ganhar adesão nos compartilhamentos sem que seja contestado. Se fosse pra contestar, veríamos que a notícia "embasada" não diz de que partido ou mesmo estado o tal deputado é. Não diz. Já se garante na prévia impressão de que o que vem do Congresso só pode ser corrupção e ataque aos direitos da classe trabalhadora. E uma pergunta pessoal ao deputado fantasma: Você tava lá dentro e só depois de "aprovado" que vem avisar ao povo? Pô, "Bonifácio", que trollada!!

Ainda no site da Câmara, não há projeto de lei com esse número na casa dos doze mil. Na verdade, não houve nem tempo de ser criado um número tão avançado, conforme o tal deputado inexistente tenta alertar. Aliás (de novo) outro singelo mecanismo dos boatos é criar o clima de alarmismo e conspiração. Clima esse que desaba assim que você procura rapidamente na internet. Eu, por exemplo, diante desse tipo de notícia absurda, dou logo um google e a fonte pra desmascarar esse boato, eu achei na primeira página sem muito esforço. Só jogando o título. Voltando ao clima de alarmismo, veja que a data da mentira sempre é atualizada, neste caso, seria de 5 de junho (o que já GRITA que é mentira, pois se as leis são enumeradas de aconrdo com a ordem e o ano, logo, ainda estamos em junho e já contam mais de 12 mil projetos pra 2015? Impossível um bocado, né?) e já mandam logo um papo furado de que foi tudo votado em segredo sem chances de manifestação.

Novamente eu falo, como eles já sabem que certos assuntos são senso comum e nunca contestados pela maioria, essas lorotas ganham facebooks, sites e blogs revolTODDY online e Whatsapp com velocidade e certa facilidae. Quem resiste ao impulso de repassar uma notícia bombástica e ser o primeiro a contar a novidade, não é mesmo? É, mas é preciso refrear esse impulso, porque esses textos não se criam no ar, alguém cria com alguma intenção, nem que seja a simples intenção babaca de ver até onde faz os outros de bobo. NÃO CAIAM! Sempre tem as mesmas características:

1) Clima de conspiração: Foi votado em segredo, sem possibilidade de manifestação (ma, oras, bátema, se foi votado, deveria aparecer no site, né? portal oficial? alô?).

2) Assunto de interesse geral: A maioria da população é trabalhadora, então, levantar a mínima possibilidade de que algum direito da CLT vai ser afetado, logo causa comichão no pobre.

3) Falta de detalhes/Detalhes aleatórios: Nem o nome do deputado que "escreveu" o texto, nem o número da lei "aprovada" existem no portal oficial, o que já deslegitima a "notícia".

4) Carona no senso comum: O senso comum é a pessoa nem precisar olhar ou ouvir algo pra já ter certeza de que sua opinião sobre aquilo estará certa e um dos maiores expoentes disso é aquela velha impressão "apolítica/apartidária" de "todo político é corrupto", logo, pra tirar direitos do trabalhador e aumentar suas próprias regalias, pra galera do senso comum, é certo 100% do tempo. Verdade absoluta como o Sol.

Fica a dica, pra acabar com direitos como dispositivos da Constituição e da CLT é preciso muito mais do que uma suposta reunião secreta sem nota em site oficial do governo. Isso parece mais aquelas matérias sensacionalistas da Veja ou do JN, que começam criticando um carro estacionado e logo liga ao governo do PT, num obvio desespero de ver que pode sim um governo federal dar menos atenção aos ricos pra equilibrar minimamente a balança pros pobres. Tem dó, internet é como uma granada, se você não sabe manusear, vai causar estragos pra todo mundo ao redor.

Fonte: BOATOS.

Nenhum comentário: